Sunday, February 12

“Se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus”




 A Palavra de Deus deste 6º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir sobre o projecto que Deus nos deu para assumirmos com convicção a vida cristã.
Apela-nos à vivência da perfeição e à radicalidade de vida, a irmos ao fundamental da Sua mensagem: o cumprimento da Lei de Deus, que não passa por um cumprimento à letra e rigoroso mas a sabermos ser verdadeiramente livres e sábios para descobrirmos o amor de Deus e a caridade para com os outros.
Jesus veio propor-nos a perfeição dos mandamentos e da Lei. Ele não veio para abolir a lei que Deus ofereceu ao Seu povo no Sinai.
A proposta de Jesus é ir mais além da lei e assumir uma atitude interior de compromisso e responsabilidade com Deus tendo cumprimento na vida concreta de cada dia. Significa levar às últimas consequências e o cumprimento da Lei exige uma justiça ainda maior: “se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos Céus”.
Jesus apresenta-nos quatro exemplos bem concretos desta nova maneira de perceber e viver a Lei de Deus: nas relações com os outros, no adultério, no divórcio e na questão do juramento. É preciso um clima de sinceridade, de confiança, de verdade, de lealdade. A vossa linguagem deve ser: Sim, sim; não, não. O que passa disto vem do Maligno. É necessário haver uma coerência de vida, banir a mentira e guiar-se pelo Espírito de verdade e da Lei.
Peçamos ao Senhor que nos faça compreender a lei do amor. A cada um de nós é dirigida a exortação de Paulo: «Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem» (Rm 12, 21). E ainda: «Não nos cansemos de fazer o bem» (Gal 6, 9). Como diz o Papa Francisco, na Evangelii Gaudium, “Não deixemos que nos roubem o ideal do amor fraterno”.

Friday, February 10

Sexta-feira da Semana V do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/tempo-comum-anos-impares-iv-semana-sexta-feira-2/?mc_id=1310

Reflexão
Jesus, ao dar vista aos cegos, ouvido aos surdos e voz aos mudos, está a dar cumprimento ao que os profetas tinham anunciado. Deste modo, ao mostrar compaixão para com os doentes e infelizes, Jesus revela-Se o Messias, o Enviado, o Ungido de Deus. Quando o homem se aproxima de Jesus Cristo, Ele faz com que se possa ouvir a palavra de Deus e professar a fé. É o segundo milagre que Jesus faz em território pagão e pretende continuar a descrição da actividade missionária da primeira comunidade cristã e assinalar a abertura dos pagãos à fé em Jesus Cristo. Em Jesus realizam-se as promessas de salvação. É um reconhecimento gozoso da eficácia da presença do reino de Deus.

Monday, January 30

Segunda-feira da Semana IV do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/tempo-comum-anos-impares-iv-semana-segunda-feira/?mc_id=1293

Reflexão
O nosso mundo anda possesso de muitos espíritos: violência, fanatismo, lucro, droga, guerra, armas, riqueza, sensualidade, vaidade, bruxaria, etc. É por sinais que Jesus se auto-revela como Messias e Filho de Deus. A presença de Jesus incomodou os povos daquela região, não por ter curado o possesso, mas sobretudo pelo desaparecimento dos porcos. A Sua presença agora incomodava, porque obrigou a sacrificar interesses materiais. Por isso pediram que fosse para outro sítio. É o que realmente procuramos fazer continuamente: que Ele não nos incomode.

Thursday, January 26

Memória litúrgica de São Timóteo e São Tito, bispos

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/s-timoteo-e-s-tito-bispos/?mc_id=131

Reflexão
Timóteo e Tito, discípulos e colaboradores do apóstolo Paulo, presidiram às Igrejas de Éfeso e de Creta, respectivamente. No cumprimento da sua missão também encontraram o cenário profetizado por Cristo: como cordeiros no meio de lobos. A eles foram dirigidos as Epístolas Pastorais, que contêm admiráveis recomendações para a formação dos pastores e dos fiéis. São Paulo revê-se nos seus dois discípulos e sente-se feliz pelo dom da fé que lhes é comum, e que neles se tornou a raiz da vida vivida na fidelidade à palavra de Deus, que receberam, e à missão em que foram investidos dentro da Igreja.

Wednesday, January 25

Festa da Conversão de São Paulo

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/conversao-de-s-paulo/?mc_id=120

Reflexão
São Paulo é o melhor exemplo do mandato de Cristo de anunciar a Palavra. Jesus censura sempre a obstinação dos incrédulos no testemunho daqueles que O tinham visto ressuscitado. A Igreja missionária não se coaduna com a ideia duma igreja instalada.
O mandato de anunciar a Palavra é perene, tanto para a comunidade eclesial, como para cada um dos seus membros, sobretudo através do testemunho de vida. Como São Paulo todo o cristão é enviado a evangelizar, incarnando no mundo os valores do Reino. Por isso é urgente a desinstalação dos cristãos acomodados e passivistas.

Monday, January 23

Segunda-feira da Semana III do Tempo Comum


Reflexão
Continuando a fazer a comparação entre o culto e a mediação de Cristo e os ritos do Antigo Testamento, a epístola afirma a superioridade absoluta de Cristo sacerdote. O seu sacrifício é único, oferecido de uma vez para sempre; ele atinge o fim dos tempos e inaugura o reino celeste, onde Cristo entrou de uma vez para sempre, como Cabeça do corpo da Igreja. É de lá que ela O espera para que Ele a associe à sua vitória pascal. Cristo é o mediador da nova aliança, sumo sacerdote da nova lei, o mediador entre Deus e a humanidade. Há continuidade entre a antiga e a nova aliança. Jesus não é apenas sacerdote da nova aliança; é também vítima. Na paixão, entregou-se a Deus pelos pecadores. Não ofereceu sangue de outros, mas o seu próprio sangue.

Sunday, January 22

Domingo III do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/03o-domingo-do-tempo-comum-ano-a/?mc_id=1281

Reflexão
Tal como os discípulos, nós somos chamados a responder afirmativamente à vocação e à missão que Deus nos deu e convidados a sermos testemunhas da vida e da salvação de Deus a toda a humanidade. Todos somos chamados por Jesus a ser pescadores de homens, a ajudar os outros a conhecer e a amar Deus e a subir para a barca de Jesus. Quando vamos ao encontro das pessoas, para lhes anunciar Cristo temos de perceber que Ele vai à nossa frente, vai mais adiante, e já está na vida dessa pessoa! Leva a luz do evangelho, aos mais tristes e sós, aos mais desanimados e descrentes, ao teu familiar e ao teu vizinho mais distante! Vai e leva esta feliz notícia: Jesus Cristo ama-te. Deu a vida por ti e agora vive contigo, para te iluminar, fortalecer e libertar (E.G. 164).

Friday, January 20

Sexta-feira da Semana II do Tempo Comum


Reflexão
Jesus rodeia-Se de Doze Apóstolos, os futuros pastores do povo de Deus, como, no antigo Israel, as tribos desse povo eram também em número de doze. É Jesus quem os escolhe, porque é Ele quem está na origem do povo da nova Aliança. Aos Doze Jesus comunica o seu poder sobre o reino demoníaco do mal, para que o seu triunfo pascal esteja sempre presente entre os homens, na Igreja, por meio deles, que hoje se continuam no Colégio ou Ordem dos Bispos.
Jesus forma a sua nova família, um grupo de pessoas dispostas a acolhê-lo, que também devem converter-se acentuando assim a relação pessoal e afectiva que deve existir entre Jesus e os seus discípulos, que são o germe do novo Israel, os fundamentos da futura Igreja. Os discípulos recebem os próprios poderes de Jesus, actuando com a força do Evangelho. A vocação implica a missão de testemunhar o amor de Deus pelos homens.

Wednesday, January 18

Quarta-feira da Semana II do Tempo Comum


Reflexão
Jesus encontra a oposição dos fariseus por realizar este milagre, por causa da dureza dos seus corações mas não deixa de fazê-lo. Cheio de compaixão pelo homem com a mão paralítica, Jesus, Senhor do Sábado, faz o bem e salva mais uma vida. A atenção do próximo, a sua aproximação de Deus e a sua salvação, hão-de ocupar um lugar principal na nossa actuação.

Tuesday, January 17

Terça-feira da Semana II do Tempo Comum



Reflexão
Jesus intervém com a Sua autoridade messiânica: relativiza a lei intocável do sábado, fazendo com que os seus discípulos participem da Sua liberdade e senhorio, pois a lei fez-se para promover o homem e não para o escravizar.
É portanto, o homem que dá valor e medida à lei do sábado, pois a religião verdadeira ou é libertadora do homem ou não é religião. A lei foi dada por Moisés, mas a graça e a verdade só nos vieram por Cristo, que é o sim total a Deus. Assim deverá ser, portanto, o seu discípulo.

Friday, January 13

Sexta-feira da Semana I do Tempo Comum



Reflexão
O episódio do paralítico reflecte uma situação real, extensiva a toda a humanidade pecadora. Onde termina a potência humana, começa o poder de Deus.
O perdão dos pecados é a primeira libertação de que o homem precisa para poder sair do círculo fechado em que o Mal o envolve e o angustia. A cura do paralítico é uma síntese da palavra pregada por Jesus. O reino de Deus está próximo, porque Deus decidiu oferecer o seu perdão aos homens, em Jesus. Esse perdão introduz o homem todo, corpo e espírito, na salvação. Só com a ajuda de outros que, salvos pela misericórdia de Deus, se dispõem a ajudar os irmãos.

Thursday, January 12

Quinta-feira da Semana I do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/tempo-comum-anos-impares-i-semana-quinta-feira/?mc_id=1269

Reflexão
Segundo a Bíblia a lepra incluía diversas doenças da pele, além da doença propriamente dita. O leproso era votado à marginalização total, social e religiosa. Este homem não se resigna à sua sorte e acode a Jesus. E Jesus cura-o e restitui-o à comunidade de salvação. É assim o amor e a misericórdia de Deus: não tem fronteiras. Através dos discípulos, Ele continua a dar vista aos cegos, a curar os leprosos, a ressuscitar os mortos! Só é preciso ir ter com Ele!
A lepra que aflige hoje o homem é todo o submundo da injustiça, da prostituição e da droga. Perante esta sociedade de consumo que nos oprime e só produz ricos e pobres, o que é que vemos? O descarado passivismo duma sociedade sem alma.

Tuesday, January 10

Terça-feira da Semana I do Tempo Comum



Reflexão
Jesus fala com autoridade, em nome próprio, em virtude do seu carisma. É por sinais que Jesus Se auto-revela como Messias e Filho de Deus. A força da mensagem e das obras põe de manifesto o seu poder messiânico, neste caso, pondo termo a esse domínio diabólico. A autoridade de Jesus corrobora-se com as suas obras, que são serviço e Libertação do seu Povo.

Thursday, January 5

Quinta-feira do Tempo do Natal



Reflexão
Do cepticismo inicial, Natanael passa a uma categórica afirmação de fé. Passadas as festas da admiração no Natal, somos convidados a sermos testemunhas do amor na vida.

Wednesday, January 4

Quarta-feira do Tempo do Natal



Reflexão
João dá lugar a Jesus! Onde Deus aparece, o homem deve recolher-se à sua insignificância! Os discípulos foram e viram… e seguiram-no sem condições, convidando também os seus amigos. Seguir a Jesus é uma consequência lógica da nossa filiação divina que se reconhece precisamente pela fidelidade a Deus e aos irmãos.

Monday, January 2

Memória litúrgica de São Basílio Magno e São Gregório de Nazianzo



Reflexão
Os discípulos de João conseguiram seguir a Jesus, graças ao testemunho do seu mestre sobre o Messias. Ao vivê-lo comunicam-no aos demais. O testemunho de Cristo e da Boa Nova ainda é o que prevalece. Como João deu testemunho de Jesus, assim o cristão. Ser cristão é ser testemunha de Cristo. Demonstrando com a vida a condição de baptizado. Se encontrámos o Messias, temos de proclamar que Ele continua vivo, no meio de nós.

Friday, December 30

Festa da Sagrada Família


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/festa-da-sagrada-familia-ano-a/?mc_id=1255

Reflexão
Estamos no doloroso caminho do exílio, em busca de refúgio no Egipto. Condição dramática de pró-fugos, marcada por medos, incertezas e dificuldades. Está é a condição de milhões de famílias nos dias de hoje: fogem da guerra, da fome, de perigos graves, em busca de segurança e de uma vida digna.

Wednesday, December 28

Festa litúrgica dos Santos Inocentes



Reflexão
A matança das crianças inocentes enquadra-se bem no carácter brutal de Herodes. Jesus recapitula a história de Israel e nele se cumprem as escrituras. É evidente o paralelismo entre os meninos de Belém e os primogénitos hebreus sacrificados pelo Faraó. Os inocentes de Belém remetem-nos ao único inocente, o Cordeiro pascal. Na mente de Deus, Jesus é o precursor dos mártires de todos os tempos. Ser cristão autêntico é assumir frontalmente a perseguição por amor a Cristo.

Friday, December 23

Sexta-feira da Semana IV do Advento



Reflexão
O nome de João Baptista entranha uma missão. Ele, um (favor de Deus) é enviado a preparar a vinda do Messias. Nele se resumem todos os favores de Deus. A um passo do Natal, a tarefa mais urgente é a da conversão. João Baptista proclama a mudança revolucionária duma conversão radical e social que, é basicamente um voltar à prá- tica do amor e da justiça.

Thursday, December 22

Quinta-feira da Semana IV do Advento



Reflexão
O Magnificat é um cântico à grandeza de Deus, com múltiplos e variados ecos bíblicos. Maria é, por si mesma, Advento, a expressão mais profunda da espera. Nela, todos os anseios de liberdade do povo se fazem realidade. O Magnificat é a medida da estatura espiritual de Maria, a síntese da fé do povo eleito. Nela se revê a expressão da fé pascal da primitiva comunidade cristã. Maria é a alegria e a esperança dos pobres, o grito agradecido dos que foram salvos por Cristo. O Magnificat é um programa presente e actual. É um apelo urgente à nova ordem do Reino de Deus.