Friday, January 20

Sexta-feira da Semana II do Tempo Comum


Reflexão
Jesus rodeia-Se de Doze Apóstolos, os futuros pastores do povo de Deus, como, no antigo Israel, as tribos desse povo eram também em número de doze. É Jesus quem os escolhe, porque é Ele quem está na origem do povo da nova Aliança. Aos Doze Jesus comunica o seu poder sobre o reino demoníaco do mal, para que o seu triunfo pascal esteja sempre presente entre os homens, na Igreja, por meio deles, que hoje se continuam no Colégio ou Ordem dos Bispos.
Jesus forma a sua nova família, um grupo de pessoas dispostas a acolhê-lo, que também devem converter-se acentuando assim a relação pessoal e afectiva que deve existir entre Jesus e os seus discípulos, que são o germe do novo Israel, os fundamentos da futura Igreja. Os discípulos recebem os próprios poderes de Jesus, actuando com a força do Evangelho. A vocação implica a missão de testemunhar o amor de Deus pelos homens.

Wednesday, January 18

Quarta-feira da Semana II do Tempo Comum


Reflexão
Jesus encontra a oposição dos fariseus por realizar este milagre, por causa da dureza dos seus corações mas não deixa de fazê-lo. Cheio de compaixão pelo homem com a mão paralítica, Jesus, Senhor do Sábado, faz o bem e salva mais uma vida. A atenção do próximo, a sua aproximação de Deus e a sua salvação, hão-de ocupar um lugar principal na nossa actuação.

Tuesday, January 17

Terça-feira da Semana II do Tempo Comum



Reflexão
Jesus intervém com a Sua autoridade messiânica: relativiza a lei intocável do sábado, fazendo com que os seus discípulos participem da Sua liberdade e senhorio, pois a lei fez-se para promover o homem e não para o escravizar.
É portanto, o homem que dá valor e medida à lei do sábado, pois a religião verdadeira ou é libertadora do homem ou não é religião. A lei foi dada por Moisés, mas a graça e a verdade só nos vieram por Cristo, que é o sim total a Deus. Assim deverá ser, portanto, o seu discípulo.

Friday, January 13

Sexta-feira da Semana I do Tempo Comum



Reflexão
O episódio do paralítico reflecte uma situação real, extensiva a toda a humanidade pecadora. Onde termina a potência humana, começa o poder de Deus.
O perdão dos pecados é a primeira libertação de que o homem precisa para poder sair do círculo fechado em que o Mal o envolve e o angustia. A cura do paralítico é uma síntese da palavra pregada por Jesus. O reino de Deus está próximo, porque Deus decidiu oferecer o seu perdão aos homens, em Jesus. Esse perdão introduz o homem todo, corpo e espírito, na salvação. Só com a ajuda de outros que, salvos pela misericórdia de Deus, se dispõem a ajudar os irmãos.

Thursday, January 12

Quinta-feira da Semana I do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/tempo-comum-anos-impares-i-semana-quinta-feira/?mc_id=1269

Reflexão
Segundo a Bíblia a lepra incluía diversas doenças da pele, além da doença propriamente dita. O leproso era votado à marginalização total, social e religiosa. Este homem não se resigna à sua sorte e acode a Jesus. E Jesus cura-o e restitui-o à comunidade de salvação. É assim o amor e a misericórdia de Deus: não tem fronteiras. Através dos discípulos, Ele continua a dar vista aos cegos, a curar os leprosos, a ressuscitar os mortos! Só é preciso ir ter com Ele!
A lepra que aflige hoje o homem é todo o submundo da injustiça, da prostituição e da droga. Perante esta sociedade de consumo que nos oprime e só produz ricos e pobres, o que é que vemos? O descarado passivismo duma sociedade sem alma.

Tuesday, January 10

Terça-feira da Semana I do Tempo Comum



Reflexão
Jesus fala com autoridade, em nome próprio, em virtude do seu carisma. É por sinais que Jesus Se auto-revela como Messias e Filho de Deus. A força da mensagem e das obras põe de manifesto o seu poder messiânico, neste caso, pondo termo a esse domínio diabólico. A autoridade de Jesus corrobora-se com as suas obras, que são serviço e Libertação do seu Povo.

Thursday, January 5

Quinta-feira do Tempo do Natal



Reflexão
Do cepticismo inicial, Natanael passa a uma categórica afirmação de fé. Passadas as festas da admiração no Natal, somos convidados a sermos testemunhas do amor na vida.

Wednesday, January 4

Quarta-feira do Tempo do Natal



Reflexão
João dá lugar a Jesus! Onde Deus aparece, o homem deve recolher-se à sua insignificância! Os discípulos foram e viram… e seguiram-no sem condições, convidando também os seus amigos. Seguir a Jesus é uma consequência lógica da nossa filiação divina que se reconhece precisamente pela fidelidade a Deus e aos irmãos.

Monday, January 2

Memória litúrgica de São Basílio Magno e São Gregório de Nazianzo



Reflexão
Os discípulos de João conseguiram seguir a Jesus, graças ao testemunho do seu mestre sobre o Messias. Ao vivê-lo comunicam-no aos demais. O testemunho de Cristo e da Boa Nova ainda é o que prevalece. Como João deu testemunho de Jesus, assim o cristão. Ser cristão é ser testemunha de Cristo. Demonstrando com a vida a condição de baptizado. Se encontrámos o Messias, temos de proclamar que Ele continua vivo, no meio de nós.

Friday, December 30

Festa da Sagrada Família


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/festa-da-sagrada-familia-ano-a/?mc_id=1255

Reflexão
Estamos no doloroso caminho do exílio, em busca de refúgio no Egipto. Condição dramática de pró-fugos, marcada por medos, incertezas e dificuldades. Está é a condição de milhões de famílias nos dias de hoje: fogem da guerra, da fome, de perigos graves, em busca de segurança e de uma vida digna.

Wednesday, December 28

Festa litúrgica dos Santos Inocentes



Reflexão
A matança das crianças inocentes enquadra-se bem no carácter brutal de Herodes. Jesus recapitula a história de Israel e nele se cumprem as escrituras. É evidente o paralelismo entre os meninos de Belém e os primogénitos hebreus sacrificados pelo Faraó. Os inocentes de Belém remetem-nos ao único inocente, o Cordeiro pascal. Na mente de Deus, Jesus é o precursor dos mártires de todos os tempos. Ser cristão autêntico é assumir frontalmente a perseguição por amor a Cristo.

Friday, December 23

Sexta-feira da Semana IV do Advento



Reflexão
O nome de João Baptista entranha uma missão. Ele, um (favor de Deus) é enviado a preparar a vinda do Messias. Nele se resumem todos os favores de Deus. A um passo do Natal, a tarefa mais urgente é a da conversão. João Baptista proclama a mudança revolucionária duma conversão radical e social que, é basicamente um voltar à prá- tica do amor e da justiça.

Thursday, December 22

Quinta-feira da Semana IV do Advento



Reflexão
O Magnificat é um cântico à grandeza de Deus, com múltiplos e variados ecos bíblicos. Maria é, por si mesma, Advento, a expressão mais profunda da espera. Nela, todos os anseios de liberdade do povo se fazem realidade. O Magnificat é a medida da estatura espiritual de Maria, a síntese da fé do povo eleito. Nela se revê a expressão da fé pascal da primitiva comunidade cristã. Maria é a alegria e a esperança dos pobres, o grito agradecido dos que foram salvos por Cristo. O Magnificat é um programa presente e actual. É um apelo urgente à nova ordem do Reino de Deus.

Tuesday, December 20

Terça-feira da Semana IV do Advento



Reflexão
A profecia de Isaías, de que a Virgem conceberá e dará á luz um filho, cumpriu-se em Nazaré. A tradição da Igreja sempre entendeu o texto em sentido cristológico e mariano. Na cena da Anunciação, está o facto real da Encarnação do Verbo, no seio duma mulher judia, chamada Maria. O sim de Maria foi a sua opção radical, total e pessoal, com o Senhor. É um sim para a nova Humanidade. É uma lição para nós, ao indicar-nos o caminho de fidelidade ao Senhor. Uma fé viva exige coerência, convicção profunda e compromisso.

Thursday, December 15

Quinta-feira da Semana III do Advento


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/03a-semana-do-advento-quinta-feira-anos-pares/?mc_id=1086

Reflexão
O baptismo de João é preparação e ao mesmo tempo um primeiro passo para entrar no Reino das promessas divinas. Todo o povo se fez baptizar; exceto os fariseus e os doutores da Lei, que, como sempre, anulam os desígnios de Deus. De que lado estamos?!

Monday, December 12

Segunda-feira da Semana III do Advento



Reflexão
Balaão é um profeta e adivinho pagão, forçado pelo rei de Moab a amaldiçoar o acampamento dos israelitas. O Espírito do Senhor, porém, transformou-o em profeta do seu povo. E toda a sua mensagem é de bênçãos e prosperidade.
No seu sentido pleno, refere-se ao Messias, a Jesus. Ninguém é tão surdo à Palavra de Deus, como aquele que não quer ouvi-la. Jesus confunde os arautos da ortodoxia judaica.
João anuncia e introduz, como Precursor que é, o Messias presente, Jesus de Nazaré.
O Baptismo de João era para o perdão dos pecados, um sinal penitencial da própria conversão.
A fraude profética dos nossos dias é que gostamos que os homens de Deus nos falem somente daquilo que nos agrada!

Tuesday, November 8

Terça-feira da Semana XXXII do Tempo Comum



Reflexão
Os fariseus, isto é os crentes que se vangloriam dos próprios méritos, não passam de servos inúteis, aos olhos de Deus. À atitude mercantilista do próprio mérito, opõe Jesus a da amizade do serviço incondicional a Deus e aos irmãos. O autêntico discípulo de Cristo, não se serve, serve.
Para Deus não conta o sentido utilitarista da eficácia dos barómetros da nossa produtividade. O nosso gozo e a nossa glória estão em sermos fiéis servidores do próprio Cristo. Humildes servidores, mas não inúteis.

Wednesday, November 2

Comemoração de todos os fieis defuntos

Dia de Silêncio, Saudades, Esperança e Preces. Levamos flores aos túmulos. Elevamos ao céu muitas preces. Visitamos o cemitério. Certamente em todos esses gestos e devoções está presente a nossa fé na Ressurreição. As leituras de hoje lembram-nos a morte para nos fazer descobrir o sentido desta vida e a alegre verdade sobre a qual está fundamentada a nossa fé: a Ressurreição. Tertuliano dizia que a esperança cristã é a ressurreição dos mortos; tudo aquilo que somos, somo-lo na medida em que acreditamos na ressurreição.
Como dizia São Cipriano, o dia de Fiéis Defuntos não é dia de luto e de tristeza, mas é o dia de mais íntima comunhão com aqueles que não perdemos, porque simplesmente os mandámos à frente. É um dia de esperança porque sabemos que os nossos irmãos ressurgirão em Cristo para uma vida nova. É isto mesmo que acreditamos. É um dia de oração e de súplica por eles.

Friday, October 28

Festa de São Simão e São Judas, Apóstolos

Os apóstolos, que hoje celebramos, ocupam uma posição bastante discreta nos evangelhos. Simão é cognominado zelote por Lucas, talvez porque pertencia ao grupo antirromano dos zelotes. Mateus e Marcos qualificam-no como cananeu. O apóstolo Judas, cognominado Tadeu por Mateus e Marcos, é qualificado por Lucas como filho de Tiago e primo do Senhor. É este Judas que, na última ceia, diz a Jesus: Porque te hás-de manifestar a nós e não te manifestarás ao mundo? Uma das Cartas Católicas, na qual se previne os cristãos contra os falsos doutores que se haviam infiltrado nas comunidades, é-lhe atribuída. De acordo com uma tradição oriental, os dois apóstolos terão levado o Evangelho até ao Cáucaso, onde teriam sido martirizados. A sua festa, celebrada no Oriente desde o século VI, passou a ser celebrada em Roma no século IX.

Thursday, October 27

Pensamento do dia: 27-10-2016

A alegria evita mil males e prolonga a vida. (William Shakespeare)